JESUS VENCEU A BATALHA DAS PALAVRAS!…

A maior batalha de Jesus contra satanás foi a batalha das palavras, consoante relata Mateus 4. O inimigo de nossas almas queria pegar Jesus pelas palavras Dele, por isso O tentou falando meias verdades, sofismas, distorcendo as palavras das Escrituras, buscando induzir o Senhor Jesus a dizer algo errado, e, com isso abrir uma brecha, para colhê-Lo num deslize. Mas, Jesus, como sempre, estava vigilante, no tocante ao que falava, como falava e quando falava.
Em Mateus 16:19 está escrito: “Tudo o que ligares na terra, será ligado no céu, e tudo que desligares na terra, será desligado no céu.” O desejo do Senhor é que usemos as nossas palavras para ligar no céu bênçãos multiformes e copiosas para as pessoas e para nós mesmos. Ruim é quando usamos este poder para semear morte para os outros e para nós.
Em Êxodo 20: 7 está registrado: “Não tomarás o Nome do Senhor teu Deus em vão.” Isto significa usar o Nome de Deus desnecessariamente, sem razão. Por exemplo: “Meu Deus, eu não estou acreditando no que vejo!”; “Pelo amor de Deus, cale essa boca irmão!”; “Deus do céu, como tá quente hoje!”; “Meu Deus, como isto doeu!”
Usar o Nome de Deus como expletivo, ou para dar realce à nossa frase é usar o Nome de Deus em vão! Muitas vezes você quer dar um palavrão e, como é crente substitui o palavrão pelo Nome de Deus, tomado-O em vão.
Davi, o Rei de Israel, homem segundo o coração de Deus, no Salmo 139:19-22, chama de ímpias, inimigas e odiáveis as pessoas que usam o Nome de Deus em vão: “Ó Deus, tu matarás decerto o ímpio; apartai-vos, portanto, de mim, homens de sangue. Pois falam malvadamente contra Deus; e os teus inimigos tomam o teu Nome em vão. Não odeio eu, Senhor, aqueles que te odeiam, e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti? Odeio-os com ódio perfeito; tenho-os por inimigos.
Com o Nome do Senhor não se brinca, porque Deus não se deixa escarnecer. Em II Reis 18 e 19, encontramos o rei da Assíria, Senaqueribe, cercando Jerusalém e esbravejando contra o rei Ezequias e mandando, uma carta contra Deus. Ezequias apresenta a carta a Deus no templo e diz: “Ele está escarnecendo de Ti Senhor”. Na mesma noite um anjo de Deus matou 185.000 soldados assírios e quando Senaqueribe voltou envergonhado para casa foi assassinado em seu próprio palácio pelos seus filhos. Deus não se deixa escarnecer!

Filipe II, de Espanha e sua invencível Armada enviada para riscar do mapa a Inglaterra, disse: “Nem Deus deterá a invencível armada.”
J. Bruce Smay, Presidente da White Star Line, empresa proprietária do transatlântico Titanic, declarou: “Nem Deus afundará o Titanic.”
Os Beatles de Liverpool, através de seu líder Ringo Star, falou: “Nós somos mais populares do que Jesus Cristo.”
Tancredo Neves declarou em entrevista à imprensa: “Se eu tiver metade dos votos da Arena, não preciso nem de Deus para me eleger.”

É por essa razão que o Senhor Jesus, na Oração do Pai Nosso, nos leciona: “Pai, santificado seja o Teu Santo Nome.” (Mt 6:9)

O Senhor não nos ensinou nesta oração a dizer: Santificada seja a Tua Face, nem o Teu Caráter, nem a Tua Majestade, ou mesmo a Tua Santa Presença, mas, santificado seja o Teu Santo Nome! O Nome de Deus, por si só, representa tudo que Deus é. A manifestação da Sua Bendita Pessoa. Portanto, deve ser reverenciado, amado, de todo o nosso coração: “Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todas as tuas forças.”(Dt. 6:5)

Em João 14: 13 e 14, O Senhor Jesus nos ensina: “E tudo quanto pedirdes em Meu Nome, Eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em Meu Nome, Eu a farei.
Jesus, antes de partir para o céu, ele nos revestiu e nos investiu da autoridade do Seu Nome. Do Nome que é tão Poderoso, que quando foram prender Jesus no Getsemani, Jesus perguntou-lhes: “A quem buscais?” Eles responderam: “A Jesus o Nazareno!” Jesus, então, disse-lhes: “Eu Sou”. (A mesma resposta de Deus Pai à Moisés quando este lhe perguntou quem Deus era).
A declaração de Jesus a respeito do Seu poderoso Nome foi tão extraordinariamente revestida do Dunamys (poder explosivo de Deus; a dinamite de Deus) quando Jesus disse: “Eu Sou”, os soldados, impelidos por um poder tão grande, recuaram e foram lançados por terra. (Jo 18:4-7)
O Nome de Jesus tem todo o Poder é o Nome sobre todo o nome.

Bp° Àtila Brandão
Fonte: IBCA.ORG

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vdeos da Semana